25 de dezembro, 2020

2020-12-25_Missa_2.jpg

Reitor do Santuário apela a um Natal comprometido com a fraternidade cristã

Padre Carlos Cabecinhas celebrou a Missa da solenidade do Natal do Senhor, esta manhã, na Basílica da Santíssima Trindade.

 

Na Missa deste dia em que a Igreja celebra o Natal do Senhor, o reitor do Santuário, padre Carlos Cabecinhas, sublinhou a entrega de amor presente na Encarnação do Verbo e exortou os peregrinos a viverem este tempo numa atitude comprometida com a fraternidade cristã.

O presidente da celebração começou por realçar o facto de a Palavra proclamada neste dia de festa não relatar o acontecimento do nascimento de Jesus, mas o "significado mais profundo do Natal", para constatar que, no Mistério da Encarnação, é de Deus a iniciativa de vir ao nosso encontro.

"O Natal proclama que nós somos os homens e mulheres por Deus amados", disse, ao expor, a partir da conceção de um pensador cristão, a ideia da existência de dois modos de mostrar a alguém o nosso amor: a oferta de presentes e, uma segunda, “mais existente”, a oferta de si próprio.

"Os presentes que oferecemos manifestam o bem que queremos àqueles que estimamos, de quem somos amigos, que amamos. Ora, Deus, na criação, faz também isso: oferece-nos presentes, dá-nos as coisas criadas. No Natal, Deus oferece-Se a Si mesmo como o grande presente, o grande dom que nos é dado. O Natal proclama que Deus se faz um de nós, assume a nossa condição humana, a nossa fragilidade, para nos mostrar o quanto nos ama”, explicou.

Citando o Evangelho do dia, onde São Lucas, ao falar do nascimento de Jesus, chama a atenção para a possibilidade da recusa do amor oferecido por Deus no Natal, o presidente da celebração perspetivou a capacidade de “acolher o presente que Deus nos faz, oferecendo-Se a Si mesmo a nós" como o grande desafio do Natal, e, tal como havia feito na Missa da vigília de Natal, alertou para o comprometimento que a vivência ideal deste tempo implica.

"Celebrar o Natal compromete-nos na nossa relação uns com os outros, nomeadamente na atenção a quem precisa de ajuda ao nosso lado. Se, em Jesus Cristo, Deus assume a nossa fragilidade, acolhê-LO significa vencermos a indiferença diante dos sofrimentos dos outros e estarmos dispostos a sermos suporte e ajuda para a fragilidade dos que nos cercam, com quem vivemos ou contactamos", concluiu.

No final da celebração, cumpriu-se a tradicional veneração da Imagem do Menino Jesus foi dada à veneração, mas sem a tradicional osculação, sendo esta substituída por uma vénia. As ofertas recolhidas neste momento foram destinadas à Diocese de Pemba, em Moçambique, para os deslocados de Cabo Delgado, uma zona norte daquele país que atravessa uma grave crise humanitária.

PDF

DESTAQUES

CATEGORIAS

Geral Entrevista

HORÁRIOS

15 jan 2021

Rosário, na Capelinha das Aparições

  • 21h30
Terço
Este site usa cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização. O seu navegador de Internet está desatualizado. Para otimizar a sua experiência, por favor, atualize o navegador.