Banner_Vestida-de-Branco_50% (1).png

HORÁRIO

Terça-feira a domingo: 09h00 às 12h45 (última entrada) e 14h00 às 17h45 (última entrada). Encerra à segunda-feira.

Entrada livre.

 

VISITAS TEMÁTICAS

Primeiras quartas-feiras de cada mês (julho a outubro) | das 21h15 às 22h30

Entrada livre.


1 de julho

"Tota pulchra": a beleza de Maria. A propósito da temática da Exposição 

D. António Marto. Bispo de Leiria-Fátima 


5 de agosto

Singularidades das representações da Virgem Maria nas diferentes épocas históricas. A propósito do Núcleo I da Exposição

Marco Daniel Duarte. Diretor do Museu do Santuário de Fátima 


2 de setembro

Desafios à conservação da Imagem de Nossa Senhora de Fátima. A propósito do Núcleo VII da Exposição

Ana Rita Santos. Coordenadora do Serviço de Conservação e Restauro do Património do Santuário de Fátima


7 de outubro

A Imagem de Nossa Senhora de Fátima: da criação à difusão de uma nova forma de representar a Virgem Maria. A propósito Núcleo V da Exposição

Marco Daniel Duarte. Diretor do Museu do Santuário de Fátima

VESTIDA DE BRANCO

Exposição comemorativa do centenário da primeira escultura de Nossa Senhora de Fátima

30 de novembro de 2019 a 15 de outubro de 2020

Convivium de Santo Agostinho | Basílica da Santíssima Trindade

A mais importante escultura do catolicismo contemporâneo foi criada em Portugal, a partir da narrativa das Aparições de Fátima.

O centenário da sua criação é momento para reflexão acerca da relação entre arte e devoção e oportunidade para contemplar as mais belas imagens da Virgem Maria, a Mulher «vestida de branco».

Emergindo do excerto do interrogatório realizado a Lúcia de Jesus, quando questionada sobre como se encontrava vestida a Mãe de Deus, a exposição sobre a Imagem de Nossa Senhora do Rosário de Fátima mostra como, a partir da Cova da Iria, se difundiu um dos mais importantes ícones do catolicismo contemporâneo.

Ao longo de sete núcleos, a exposição convida a refletir sobre a relação entre arte e devoção, num diálogo permanente entre arte antiga e arte contemporânea, tradição e inovação. Recorrendo a peças de valor histórico e artístico do espólio do Museu do Santuário de Fátima, como de outras instituições museológicas e diferentes organismos eclesiais, através da linguagem da museologia é dado ao visitante conhecer o processo histórico e artístico de criação e fixação do modelo oficial da Imagem que se venera na Capelinha das Aparições, as interpretações devocionais e artísticas que lhe são devedoras, assim como os mitos, desafios e herança de um dos símbolos maiores da iconografia mariana, numa experiência simultaneamente formativa e de fruição estética das múltiplas formas com as quais as diferentes épocas históricas vestiram a Virgem Maria.

Comissariado e museologia: Marco Daniel Duarte
Museografia: Humberto Dias e Pedro Gândara, arquitetos
Design: Inês do Carmo


 

2019-04-22_Visitas_Tematicas_4.jpg


CAPELA-MÚNDI

Exposição temporária comemorativa do centenário da construção da Capelinha das Aparições 

1 de dezembro de 2018 a 15 de outubro de 2019

Convivium de Santo Agostinho | Basílica da Santíssima Trindade

09h00 às 18h00 | Entrada livre

Sobre como uma pequena capela branca
se pode tornar no centro das atenções
de uma boa parte da humanidade:
do percurso histórico ao percurso simbólico de um edifício espiritual.

Composta por nove núcleos, a exposição assenta numa aturada pesquisa histórica que procura ler a Capelinha das Aparições como um dos mais importantes ícones do Santuário de Fátima.

Por ter sido construída a partir de um desejo que os Pastorinhos de Fátima asseguram ter sido transmitido pela Virgem Maria, este pequeno templo, de traça vernacular, é considerado o coração do Santuário de Fátima, e é ao seu redor que têm lugar as mais íntimas manifestações de fé dos peregrinos da Cova da Iria.

Temáticas como a construção física da capela, os protagonistas que lhe estão ligados, a dinamitação de 1922 e a simbólica que lhe está associada serão tratadas através da linguagem da museologia, recorrendo a peças de valor histórico e artístico não só do espólio do Museu do Santuário de Fátima como de outras instituições museológicas, incluindo museus, bibliotecas e palácios do Estado Português e de museus e arquivos da Igreja Católica. Também diferentes organismos eclesiais (paróquias, congregações religiosas, confrarias e dioceses do País e de Espanha) cederam peças para a exposição, o que proporcionará uma experiência que se pretende a um tempo de formação e de fruição estética. 

Comissariado e museologia: Marco Daniel Duarte
Arquitetura: Maria Joana Delgado
Design: Inês do Carmo
 

Capelinha das Aparições. Capela-Múndi | CATÁLOGO

2019-04-22_Visitas_Tematicas_1.jpg

 

VISITAS GUIADAS

Diariamente, das 11h30 às 12h15 e das 15h30 às 16h15.

 

VISITAS TEMÁTICAS

Primeiras quartas-feiras de cada mês (maio a outubro) | Entrada livre

Das 21h15 às 22h00


1 de maio

"A barca como imagem do caminho e do refúgio na Literatura Portuguesa". A propósito da História Trágico-Marítima, de Bernardo Gomes de Brito

José Augusto Cardoso Bernardes​. Diretor da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra. Especialista em Literatura Portuguesa


5 de junho

"Imagens e histórias de devoção". A propósito de Agnus Dei, de Josefa d’Ayala

Fernando António Batista Pereira. Presidente do Conselho Diretivo da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Historiador da Arte e Museólogo


3 de julho

"Aspetos da iconografia mariana". A propósito da escultura Nossa Senhora da Boa Morte, do Santuário de Vila Viçosa

Carlos Filipe. Presidente do Instituto da Padroeira de Portugal para os Estudos da Mariologia


7 de agosto

O "Correio de Nossa Senhora". A propósito das mensagens dos peregrinos à Virgem de Fátima

André Melícias. Coordenador do Serviço de Arquivo (Departamento de Estudos) do Santuário de Fátima 


4 de setembro

"Agradecer através da imagem: ex-votos portugueses da Época Moderna". A propósito dos ex-votos à Virgem de Fátima

Isabel Drumond Braga. Professora da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Historiadora da Época Moderna


2 de outubro

"A museologia e a missão cultural da Igreja". A propósito da exposição temporária Capela-Múndi

Artur Goulart. Coordenador do Inventário do Património Artístico Móvel da Arquidiocese de Évora. Historiador da Arte e Museólogo 


 

Icon_Sol.jpg

VISITAS GUIADAS

3 de dezembro de 2016 a 30 de dezembro de 2017: todos os sábados, das 11h30 às 12h15 e das 15h30 às 16h15

 

VISITAS TEMÁTICAS

das 21h15 às 22h00

2 de maio
"Fé e ciência: duas visões em confronto?"
A propósito do modelo do Sistema Terra-Sol, por Henrique Leitão

6 de junho
"As fotografias de 13 de outubro de 1917"
A propósito das fotografias de Judah Bento Ruah  Paulo Catrica 
 
4 de julho
"A retórica da arte sacra na Idade Moderna"
A propósito da escultura e pintura dos séculos XVI a XVIII da Exposição, por Sandra Costa Saldanha 
 
1 de agosto
"Desafios de uma exposição à conservação de espólio histórico"
A propósito da montagem do espólio, por Ana Rita Santos 
 
5 de setembro
"A obra de Irene Vilar"
A propósito das esculturas “Esta árvore tem dois mil anos” e “Imaculado Coração de Maria”, por Laura Castro 
 
3 de outubro
"O papel da museologia na apresentação de conteúdos"
A propósito da Exposição “As cores do Sol: a luz de Fátima no mundo contemporâneo”, por Isabel Roque

 

Visita virtual

D0203564.jpg


As cores do Sol: a luz de Fátima no mundo contemporâneo

Exposição temporária evocativa da aparição de outubro de 1917

26 de novembro de 2016 a 31 de outubro de 2018

Convivium de Santo Agostinho | Basílica da Santíssima Trindade

09h00 às 19h00 | entrada livre

Tomando como matéria histórica o dia 13 de outubro de 1917 e os relatos diretos e indiretos sobre o Milagre do Sol, a exposição pretende recriar, através de vários mecanismos sensoriais, cenários relacionados com a paisagem do dia da última aparição da Virgem Maria em Fátima. A partir desta memória, o visitante terá consciência de que o Milagre do Sol não foi o momento de clausura da história das aparições, mas o dia inicial de uma história em que o peregrino passa a ser verdadeiro protagonista. A exposição que estará patente no ano do centenário é a mais ambiciosa que o Santuário de Fátima já promoveu e conta com peças cedidas, em regime de empréstimo, por colecionadores particulares e por instituições eclesiais e do mundo civil.


 

Terra e Ceu com visitas.jpg


Terra e Céu: peregrinos e santos de Fátima

Exposição temporária evocativa da aparição de setembro de 1917

28 de novembro de 2015 a 31 de outubro de 2016

Convivium de Santo Agostinho | Basílica da Santíssima Trindade

09h00 às 19h00 | entrada livre

Esta exposição é, antes de mais, uma experiência que leva o visitante a caminhar por um percurso que faz espelhar esses dois conceitos não antagónicos, mas, assim o entende a mensagem de Fátima, luminosamente complementares. De pés firmes porque sulcaram a Terra, os peregrinos de Fátima olham para o Céu. Entre a Terra e o Céu, inscrevem-se, de facto, muitos nomes que um dia experimentaram Fátima como lugar de santidade.


 

Cristo_Neste Vale de Lagrimas_recorte.jpg


Neste vale de lágrimas

Exposição temporária evocativa da aparição de agosto de 1917

29 de novembro de 2014 a 31 de outubro de 2015

Convivium de Santo Agostinho | Basílica da Santíssima Trindade

Tomando como mote o drama vivido pelos pastorinhos de Fátima, em meados de agosto de 1917, "Neste vale de lágrimas" é uma contemplação orante dos desterros, dos gemidos, dos choros e dos rogos que consubstanciam os dramas da época contemporânea, lidos à luz da esperança que irradia da mensagem de Fátima.


 

Leitura do segredo_recorte.jpg


Segredo e revelação

Exposição temporária evocativa da aparição de julho de 1917

30 de novembro de 2013 a 31 de outubro de 2014

Convivium de Santo Agostinho | Basílica da Santíssima Trindade

Tomando como mote a aparição de julho de 1917, o Santuário de Fátima propõe aos peregrinos uma exposição temporária que pretende apresentar, através de documentação histórica e de espólio artístico, uma das mais importantes temáticas de Fátima: o Segredo que, desde a Cova da Iria, leva à contemplação de todo um mundo contemporâneo. "Segredo e revelação" leva os visitantes a perceber que «a mensagem de Fátima convida a confiar na promessa» contida no evangelho: «No mundo tereis aflições, mas tende confiança! Eu venci o mundo» (Jo 16,33)» (Joseph Ratzinger, Comentário teológico ao Segredo de Fátima).


 

Coracao_exposicao.jpg


Ser, o segredo do Coração

Exposição temporária evocativa da aparição de junho de 1917

24 de novembro de 2012 a 31 de outubro de 2013

Convivium de Santo Agostinho | Basílica da Santíssima Trindade

Sob o título "Ser, o segredo do Coração" desenvolvem-se seis núcleos através dos quais se desenrola uma narrativa que leva o visitante a fazer uma experiência, ora sensorial, ora reflexiva, acerca da temática do Imaculado Coração de Maria, que ali se vê tratada quer na sua componente histórica quer na sua componente teológica e espiritual, através de vários documentos e obras artísticas. "Ser, o segredo do Coração" pretende constituir-se um contributo para a reflexão sobre esta devoção mariana que, embora já estivesse inscrita nos corações dos fiéis desde o século XVII, aufere uma projeção universal e contemporânea a partir de Fátima.​

 

 
PDF

HORÁRIOS

04 jul 2020

Missa, na Basílica da Santíssima Trindade

  • 07h30
Missa

Rosário, na Capelinha das Aparições

  • 10h00
Terço
Este site usa cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização. O seu navegador de Internet está desatualizado. Para otimizar a sua experiência, por favor, atualize o navegador.