search clock-o download play play-circle-o volume-up image map-marker plus twitter facebook rss envelope linkedin close exclamation-triangle home bars angle-left angle-right share-alt clock-o arrow-up arrow-down2 folder folder-folder-plus folder-open calendar-o angle-down eye refresh

PÁGINA OFICIAL

Santuário de Fátima

Transmissão Online

Presépio de Paulo Neves integra património do Santuário de Fátima

16 de dezembro, 2017

154A7459.jpg

Presépio de Paulo Neves integra património do Santuário de Fátima

O presépio instalado na nave da Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima foi pensado e desenhado para este espaço

 

Os peregrinos que se desloquem a Fátima durante a época de Natal vão poder contemplar o novo Presépio de Paulo Neves, um conjunto escultórico composto por três peças, instaladas na nave da Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, junto à entrada, do lado da Epístola.

A instalação, encomendada pelo Santuário de Fátima, recupera a Sagrada Família e, na figura de Maria, o Escultor faz aparecer um coração sobre o peito materno da Virgem.

Como noutras obras do seu ‘curriculum’, o Autor trabalha a figura humana a partir da valorização da forma arcaica que a arte dos inícios do século XX veio enaltecer (cf. movimentos estéticos como o Cubismo), sobretudo a partir do conceito de máscara que surge esculpida a partir da sinuosidade das linhas que o tronco, como matéria prima, dita na hora de sulcar e talhar o lenho.

O Presépio é desenvolvido em Madeira de cedro esculpida e tem uma volumetria de 350x200x200cm.

Paulo Neves Nasceu em Cucujães, Oliveira de Azeméis, em 1959.Frequentou o Curso de Pintura da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. De 1978 a 1981 conviveu e trabalhou com diversos artistas em vários países da Europa, regressando depois à terra natal onde tem o seu ateliê. Desde 1980 já realizou cerca de 100 exposições individuais e outras tantas colectivas, sendo autor de variadas expostas em diferentes locais espalhados pelos quatro cantos do Mundo. Trabalha sempre em Madeira e pedra.

Trata-se de um escultor premiado  tendo recebido, entre outros, o Prémio Águas do Minho e Lima, XIII Bienal de Cerveira; Prémio aquisição XIV Bienal de Cerveira, Fundação Eugénio de Almeida; Primeiro prémio concurso para monumento ao Magriço, promovido pela Câmara Municipal de Penedono, em 2000; Primeiro prémio concurso ‘Elementos Escultóricos e Baixos Relevos para a Revitalização da Zona Histórica de Viseu’, promovido pela Câmara Municipal de Viseu, em 1999.