01 de abril, 2021

119A8152.jpg

A Eucaristia “é o gesto de amor de Jesus para com os frágeis”, afirma o reitor do Santuário de Fátima

Padre Carlos Cabecinhas preside à Missa da Ceia do Senhor, a celebração que inaugura o Tríduo Pascal

 

A Eucaristia “é a expressão máxima do amor misericordioso de Deus”, concretizado na entrega de Jesus, na Cruz, afirmou esta tarde o padre Carlos Cabecinhas na homilia da Missa da Ceia do Senhor, a primeira grande celebração do Tríduo Pascal. 

“A Eucaristia torna presente para nós hoje esse ato supremo de amor misericordioso que é a entrega de Cristo por nós. Somos nós os beneficiários dessa entrega” salientou o reitor do Santuário de Fátima aos peregrinos que puderam participar presencialmente nesta celebração transmitida pelos meios de comunicação social e digital e seguida por mais de 8 mil peregrinos virtuais.

“É sempre essa entrega de Jesus por nosso amor que se torna presente em cada Eucaristia”, sublinhou ao frisar que é na “humildade dos sinais”- do pão e do vinho-  que Jesus se manifesta pois só essa “humildade e fragilidade podem revelar eficazmente o imenso amor de Deus.”.

“Se Deus pretendesse manifestar o seu amor de forma grandiosa esmagar-nos -ia. Na Eucaristia, como na Cruz, Jesus dá-Se a conhecer como o Deus frágil que vem ao encontro dos frágeis, revela-nos Jesus como socorro nas nossas dificuldades, como esperança nos momentos de desânimo e prostração, como amor que se dá e que , por isso, nos salva” esclareceu ainda.

“ Participar na Eucaristia é fazer esta experiência que se revela de forma frágil”, adiantou o padre Carlos Cabecinhas.

O Reitor do Santuário concluiu, por isso, que a “Eucaristia é o Pão dos frágeis, a resposta de Deus à nossa vulnerabilidade, o alimento com que Deus fortalece o nosso caminhar pelos caminhos da vida, tantas vezes marcados pelo sofrimento” e “não o prémio para os impecáveis e irrepreensíveis”.

“Infelizmente, esquecemo-nos disto com demasiada frequência...achamos que devemos merecer participar na Eucaristia; nós não merecemos, não é algo que possamos alcançar, não é mérito nosso; a Eucaristia é pão da nossa fragilidade e quanto mais frágil somos mais nos damos conta da necessidade que temos dela”, concluiu.

A Missa Vespertina da Ceia do Senhor dá início ao sagrado Tríduo da paixão, morte e ressurreição de Jesus, que terá o seu momento culminante na solene Vigília Pascal, no Sábado.

Este primeiro momento do Tríduo Pascal, que faz memória da instituição da Eucaristia e do sacerdócio, é como que o pórtico de entrada, que nos apresenta sacramentalmente a entrega e morte de Cristo, mas também a Sua vitória, pois o Cristo presente na Eucaristia é sempre Cristo ressuscitado e vencedor da morte.

Este ano, tal como no ano passado, por causa da situação sanitária em que o país se encontra, o rito do Lava-pés, característico desta celebração, foi suprimido. Ainda assim, no Santuário foi evocado pelo presidente da celebração , que se despojou  da casula e, colocando a estola traçada, como os diáconos, aproximou-se da frente do altar onde se encontravam uma bacia e um gomil (jarra com água), junto aos quais depositou uma toalha, elementos que simbolizam esse gesto desconcertante de Jesus que lavou os pés aos seus discípulos na Última Ceia.

“Também o gesto do Lava-pés nos revela a Eucaristia como gesto de amor de Jesus para com os frágeis. No gesto desconcertante de Jesus, que lava os pés aos seus discípulos, é Deus que Se inclina sobre nós, que Se ajoelha diante da nossa miséria e da nossa fragilidade, para nos restituir a dignidade de Seus filhos” lembrou o reitor do Santuário de Fátima. 

Por isso, concluiu: “Participar na Eucaristia é assumir o compromisso de ir ao encontro dos que, ao nosso lado, precisam de ajuda e socorro. Somos os frágeis que Jesus socorre, mas igualmente aqueles que Ele envia a dar força, ânimo e alegria a quem, ao nosso lado, precisa de ajuda”.

No final da celebração, o Santissimo foi transladado para a Capela da Morte de Jesus, procedendo-se à desnudação do altar.

Ainda esta Quinta-feira Santa o Santuário transmitirá em direto no Youtube e no Facebook, às 23h00, a Oração da Agonia do Senhor, a partir da Capela da morte de Jesus, o que acontecerá pela primeira vez. 

Sexta-feira serão transmitidas a oração de Laudes, às 9h30 e a Paixão do Senhor às 15h00 a partir das Basílicas de Nossa Senhora do Rosário e Santíssima Trindade, respetivamente. À noite, às 21h00, será transmitida a Via-Sacra.

PDF

DESTAQUES

CATEGORIAS

Geral Entrevista

HORÁRIOS

19 abr 2021

Missa, na Basílica da Santíssima Trindade

  • 07h30
Missa

Rosário, na Capelinha das Aparições

  • 12h00
Terço
Este site usa cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização. O seu navegador de Internet está desatualizado. Para otimizar a sua experiência, por favor, atualize o navegador.